Rádio Atalaia FM
Terça, 20 de Abril de 2021
82993138001
Brasil Brasil

STF não defendeu liberdade de religião, diz presidente da Unigrejas

'A pandemia não pode ser uma justificativa para rasgar a Constituição', diz o pastor Eduardo Bravo em crítica ao STF

08/04/2021 19h25
6
Por: ADMINISTRADOR Fonte: R7
Eduardo Bravo é presidente da Unigrejas - (Foto: Regina Duvirgem/Divulgação)
Eduardo Bravo é presidente da Unigrejas - (Foto: Regina Duvirgem/Divulgação)

"A pandemia não pode ser uma justificativa para rasgar a Constituição. A liberdade religiosa não foi defendida", disse o bispo Eduardo Bravo, presidente da Unigrejas (União Nacional das Igrejas e Pastores Evangélicos) ao criticar a decisão do STF (Supremo Tribunal Federal) que decidiu contra a liberação de cultos religiosos.

Segundo Bravo, a Unigrejas tem uma posição contrária às aglomeraçoes e defende o equilíbrio entre fé e saúde pública. "Nossa luta sempre foi para que as igrejas funcionassem dentro de todas as normas sanitárias, inclusive com a capacidade limitada."

Mas a decisão pelo fechamento foi considerada drástica e desproporcional. "Trata-se de um exemplo clássico de retrocesso democrático", afirmou Bravo. "As igrejas complementam o trabalho do poder público, principalmente levando orientação num momento como o que estamos vivendo. O governante inteligente deveria enxergar a igreja como uma parceira."

Bravo lamentou que, em vez de defender o cumprimento da Constituição, que garante os cultos e suas liturgias, "infelizmente os ministros do STF entraram em um mérito teológico que desconhecem, excluindo as necessidades da alma do ser humano". "A saúde do corpo e a saúde da alma estão conectadas entre si”, finalizou.

Ele1 - Criar site de notícias