Rádio Atalaia FM
Segunda, 21 de Setembro de 2020
82993138001
Brasil SAUDE

Brasil: levantamento diz que menos da metade dos testes de Covid-19 permite saber se vírus está ativo

Brasil: levantamento diz que menos da metade dos testes de Covid-19 permite saber se vírus está ativo

21/08/2020 15h55
3.724
Por: ADMINISTRADOR Fonte: G1
 (Imagem: Agência Brasil )
(Imagem: Agência Brasil )

O Brasil fez mais de 11 milhões de testes de Covid-19 desde o início da pandemia, mas apenas 40% deles são do tipo RT-PCR – capaz de identificar o material genético do vírus ativo no corpo humano –, segundo um levantamento exclusivo do G1 junto às secretarias estaduais de saúde.

Especialistas ouvidos pelo Jornal Hoje alertam que a testagem no país não é eficaz uma vez que no Brasil se faz mais testes sorológicos – que revelam quem já teve o vírus – do que exames RT-PCR. É só a partir desse segundo tipo que é possível identificar as infecções e rastrear contatos.

O Ministério da Saúde separa os testes para o novo coronavírus em duas categorias: RT-PCR e sorológicos.

  • O RT-PCR é o que analisa uma amostra do material genético coletado na narina e garganta do paciente para detectar a presença ou não do vírus ativo no organismo dela. Para isso é necessária uma máquina específica de laboratório, e por isso ele leva mais tempo para ser processado.
  • Já na categoria de testes sorológicos existem vários tipos de testes, com metodologias distintas e que podem ou não ser feitos fora dos laboratórios.

A pesquisadora da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), Tatiane Moraes, explicou que ao se fazer testes sorológicos, "estamos olhando para o passado". Ela explica que ele não é indicado para controlar a pandemia e serve como um registro de quem já se infectou.

"Pode ser há um mês atrás, há duas semanas atrás, a gente não sabe", disse Moraes. "A gente não vê, a gente não identifica uma política de testagem. Quando a gente fala de política de testagem – é qual é a prioridade de teste. O tipo de teste e qual a prioridade por grupo que deve ser testado."

*Redação Alagoas Alerta com G1 

Ele1 - Criar site de notícias